Arquivo da tag: campeonato brasileiro

O pior Cruzeiro desde…

…nem sei quando. Sinceramente, não me lembro o último ano em que o Cruzeiro disputava apenas o Campeonato Brasileiro e ia tão mal na competição. Não por menos já passaram pelo clube, só nesse ano, Cuca, Joel Santana e o “efetivado” Emerson Ávila. Acho que ninguém sabe explicar por que Cuca deu tão certo ano passado, sendo vice-campeão, e na fase de grupos da Libertadores em que ganhamos praticamente todos os jogos e com goleadas sobre times como o Estudiantes, rival desde 2009. Depois da estranha eliminação pelo Once Caldas em casa, o time desandou. Ganhamos o Campeonato Mineiro sobre o pequeno time de Vespasiano e isso talvez tenha deixado uns ou outros felizes – mas sinceramente: esse campeonato realmente vale alguma coisa?

Depois de um péssimo início de Brasileiro, Cuca pediu demissão e Joel assumiu. Acho que o grande erro do ano – entre diversos – foi esse: contratar Joel. O Cruzeiro nunca foi um time retranqueiro, mesmo na época de três volantes com Adilson Batista (que dessa forma soltava e bem os laterais, que apoiavam bastante o ataque), mas com Joel o time perdeu poder de fogo e o ataque foi completamente deixado de lado em detrimento da defesa, de não tomar gol a qualquer custo. A instabilidade desse péssimo treinador, provavelmente desacostumado com tantas regalias e uma estrutura tão boa (afinal, treinar time carioca não serve de parâmetro para qualidade de CTs, mesmo que não haja causalidade entre isso e a posição na tabela, vide a classificação atual do Brasileirão), custou ao Cruzeiro uma posição desagradável em que não se briga por nada e começa a se especular o medo da zona do rebaixamento, algo extremamente incomum e improvável para os torcedores celestes.

Bem, Joel saiu. Menos mal, mas Ávila não foi uma boa opção. Não tiro os possíveis méritos que o treinador possa ter no futuro, quando tiver adquirido maior experiência, tiver um elenco realmente adequado, etc. Mas a situação atual exige um cherifão, alguém que imponha respeito e cobre dos jogadores atuações que sejam condizentes com a história do Cruzeiro – e com seus enormes salários. O atual treinador cruzeirense também não deu sorte, vejamos o elenco:

Goleiros: Fábio é incontestável – mesmo quando erra ainda é perdoado por que tem muito crédito. É provavelmente o melhor goleiro em atuação no Brasil. Rafael ainda é muito jovem e teve atuações regulares, mas como ocupou o cargo de titular por mais de uma vez seguida, parece que a ansiedade pelo menos passou e tem feito defesas importantes. É um bom reserva, mas no máximo isso. Douglas Pires é o terceiro goleiro, mas a opinião de muitos cruzeirenses é de que Gabriel deveria ocupar seu lugar pela atuação que teve no Mundial Sub-20 (e eu me incluo nesse grupo). Quando Fábio é titular, o Cruzeiro está muito bem servido, o problema é a sua falta – como nas atuais convocações para a Seleção e recente contusão.

Zagueiros: Victorino é titular absoluto, não há zagueiro melhor em todo o plantel do Cruzeiro – e por isso mesmo, o time sofreu com sua falta durante a Copa América, quando defendeu a vitoriosa seleção do Uruguai. É uma pena que tenha se machucado ainda durante a Copa América, e fica a torcida para que fique pronto para voltar ao campo o mais breve possível, está fazendo muita falta. Léo e Naldo eram reservas de Victorino e Gil (que vinha atuando bem e foi vendido – que novidade! – para o Valenciennes da França), então nem preciso dizer que como dupla titular estão fazendo um péssimo papel, com atuações sofríveis. Especialmente Léo, de quem esperava mais por que ano passado cobria bem quando necessário; Naldo veio da segunda divisão do Brasileiro e não tem capacidade de ocupar a titularidade, apesar de ter feito um ou outro jogo bom. Cribari que jogou sempre no futebol italiano estreou com a camisa celeste contra o Figueirense e decepcionou, tendo sido responsável por dois dos quatro gols sofridos, mas como jogou apenas um jogo ainda é cedo para avaliar sua verdadeira condição.

Lateral-direito: Vitor e Gil Bahia. O primeiro nunca mereceu a titularidade e mal serve para ocupar a vaga por falta de outro. Gil Bahia vem da base do Cruzeiro e sempre que entrou mostrou muita raça e vontade de mostrar bom futebol, pode ser uma aposta – no futuro, sacrificar os meninos da base em uma situação ruim acho que só prejudica o time e o jogador.

Lateral-esquerdo: Diego Renan e Gabriel Araújo. Aquele é chamado de Avenida Diego Renan por ter a característica de subir demais para o ataque e não voltar para a marcação, deixando um espaço livre de atuação dos adversários. De altos e baixos, quando quer jogar bola mostra-se uma boa opção – mas sempre com um volante para garantir a marcação nos espaços deixados. Gabriel Araújo é outro que vem da base e é o mesmo caso de Gil Bahia, não dá para avaliar se será um bom jogador no futuro.

Volantes: Charles voltou esse ano depois de um acordo com o Santos, enfim um bom jogador que veio esse ano para o Cruzeiro. Já jogou no time alguns anos atrás e sempre foi bom jogador, mesmo quando mediano, pelo menos não deixa de fazer o que lhe é requisitado – marcar bem e tocar a bola para os meias (inclusive, já fez gols esse ano). Fabrício é um excelente jogador, marca bem e tem raça, além de ser considerado ídolo por muitos torcedores e ter criado vínculo com o clube. No entanto, é um pouco explosivo e perde a paciência de vez em quando. Quando está com a cabeça no lugar e joga o que sabe, é sempre boa opção para a titularidade. Leandro Guerreiro também é da fase de “renovação” do Cruzeiro e, ao contrário do que muitos pensavam (eu incluso), tem feito boas atuações. Começou jogando mal, instável, mas depois pegou ritmo e tem jogado bem, marcando com seriedade e sem subir demais e deixar espaços para os adversários. Marquinhos Paraná é da época “antiga” do time, assim como Fabrício veio junto de Adilson Batista e ficou. Cone Paraná, não é dos melhores e já tem idade avançada para o futebol. Por mim, ocuparia a reserva e entraria se necessário ou para improvisar em alguma posição, única coisa que sabe fazer mais ou menos. Everton é o provavelmente o pior jogador de todo o time, não sabe marcar direito, deixa muito espaço, sobe demais e não volta, enfim… ninguém sabe bem o que faz no Cruzeiro, já passou da hora de ser dispensado. Éber vem da base, mas quando entrou não mostrou bom futebol, é outro que só resta torcer para que melhore com o passar do tempo.

Armadores: Montillo é o craque do time. O argentino, para mim, tem jogado mais que qualquer outro meia do país – lembrando que Ronaldinho Gaúcho tem atuado de atacante. Coitado dele que não pegou a fase de 2009, poderíamos ter sido campeões da Libertadores se fizesse parte daquele time… vide ano passado em que foi um dos principais responsáveis pelo vice-campeonato. Se não fosse por ele, provavelmente estaríamos em posição ainda pior na tabela. Roger deu certo no Cruzeiro. Falam mal dele de passagens em outros times, mas o cara tem entrado bem na maioria dos jogos. A formação de dois armadores, quando esses dois jogadores jogam juntos, costuma dar mais certo que quando um deles apenas atua na posição – pena que Joel não via isso e Ávila não tem conseguido emplacar um time completo em nenhum jogo. Gilberto é um armador que pode ser improvisado na lateral, e é uma pena que praticamente NENHUM técnico faça isso apesar dos problemas na posição. Apesar da idade, joga com muita raça e é bom jogador. Ultimamente tem ficado meio reclamão, fala mal da arbitragem em todos os jogos, mesmo quando está errado, talvez seja mesmo a hora de aposentar.

Atacantes: Bruninho é meia-atacante da base, mas ainda não teve oportunidade de mostrar se realmente pode ocupar a posição e ser uma revelação do time. Wellington Paulista nunca foi consenso no time, apesar de ter feito boa dupla com Kléber nos anos anteriores. Voltou ao Cruzeiro depois de não ter feito NADA no Palmeiras, mas parece que continua da mesma forma e já machucou – não fazendo NADA pelo Cruzeiro. Farías é um bom jogador de área, mas depois que Adilson saiu nunca mais foi realmente aproveitado. Na verdade, a diretoria espera por uma proposta pelo jogador já que o alto salário não compensa sua falta de aproveitamento – uma pena, já que os atuais atacantes não tem dado conta do recado e ele poderia ser uma boa opção. Wallyson era o único atacante que realmente jogou bem esse ano, mas infelizmente machucou e só volta ano que vem – quando a fase é ruim… não há azar que termine, só resta esperar mesmo. Anselmo Ramón só não é pior que Everton – por que seria necessário muito para tanto -, mas é um péssimo atacante. Os gols que o cara perde são inacreditáveis, não é possível que ele realmente ache que possa atuar na posição de um time grande como Cruzeiro, passou da hora de ser colocado na reserva, ou melhor, dispensado. Sebá é da base e já fica na reserva há um bom tempo. Entrou várias vezes, mas nunca foi decisivo. Começo a me perguntar que trabalho tem sido feito na base para que não consigamos emplacar nenhum atacante decente. Outro que por mim seria dispensado. Ortigoza é um bom reserva e nada mais, não consegue atuar bem como titular, tem raça e nada mais, um gol aqui e outro ali não resolvem o problema do time. Bobô chegou e até agora não fez nada que prestasse (leia-se: gol). Sua redenção no futebol brasileiro poderia ser no Cruzeiro, mas ele não parece muito interessado, outra contratação ruim. Keirrison que foi o maior artilheiro do Brasil em 2009, nunca mais repetiu as boas atuações de quando jogava no Coritiba. Foi comprado pelo Barcelona, jogou na Espanha, passeou pela Itália e voltou para cá. Mesmo caso de Bobô, ainda não mostrou a que veio, mas se resolver voltar a jogar como já fez um dia, pode ser útil – o problema é que não dá para esperar mais.

Dá pra ver a situação do time… que tristeza! Wallyson machuado, Thiago Ribeiro VENDIDO, Henrique (que vinha jogando MUITO) VENDIDO E PARA O SANTOS, Gil VENDIDO… e dos que vieram, só Charles realmente tem jogado bem. Nos faltam laterais nas duas posições, pelo menos mais um bom zagueiro enquanto Victorino não melhora, e mais um bom atacante, desses matadores. Por fim, um bom técnico, alguém que já tenha currículo, bagagem, etc. Torcer para o Cruzeiro pelo menos ficar numa posição melhor, menos medonha (isso é lugar para o pequeno time preto e branco do outro lado da Pampulha) e ano que vem ganhar a quinta Copa do Brasil, é isso que provavelmente nos resta. Haja paciência!

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Futebol